Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




PRÓLOGO

Bruno Rodrigues, em 27.10.13

   Chamo-me Bruno Rodrigues, nasci em Lisboa no longínquo e belo Outono de 1984 (ler de modo poético). Com cerca de três anos de idade, e dado a minha mãe ser da ilha de Porto Santo, fui para aí viver até aos quinze, passando depois pelo Funchal durante mais cinco. Para continuar os estudos vi-me na necessidade de vir para Lisboa, onde vivo há já quase dez anos. É o típico caso de retorno às origens, se bem que sempre me vi como portossantensse. Vivo em união de facto com Chloé Maxin, da mesma idade, nascida e criada em Paris. Há cinco anos que estamos juntos em Lisboa.

 

   Foi durante uma oportunidade de permanecer e estudar em França que concebemos a nossa filha, isto em Novembro de 2011. Fizemos os primeiros exames quase em segredo e no Natal desse mesmo ano, em jeito de surpresa, anunciamos a gravidez a toda a família e amigos. Por entre os votos de felicidades, sorrisos e abraços voltamos a Portugal no final de Janeiro de 2012, não sem antes termos visto a nossa menina.

 

La Rochelle, a cidade que me acolheu durante a estadia em França

 

   Estava muito nervoso quando fomos fazer a primeira ecografia: ia finalmente conhecer a minha filha! Parece que a inquietação era mútua, pois a peste da miúda não parava quieta: mexia-se de um lado para o outro, saltava, agitava os braços, dava mergulhos... Lembro de ter comentado que aquele teria sido até à data, (e se calhar até hoje, depois explico o porquê) o dia mais feliz da minha vida.

 

Lou de cabeça para baixo a dar um mergulho

 

   Antes de entrar no consultório, relembre-se que esta é a minha primeira filha, haviam-me dito que não se distingue nada numa ecografia. Enfim, as expectativas de avistar qualquer coisa eram baixas: seriam imagens um tanto ou quanto desconexas, desfasadas temporalmente e de má qualidade. Para minha surpresa, consegui ver tudo muito bem, em tempo real e, durante aquela meia-hora, com um grande sorriso na cara. Com a confirmação de que tudo estava dentro do esperado rumámos em direcção a Portugal no dia seguinte.

 

A primeira fotografia de perfil

 

   Aqui continuámos a nossa vida. No dia 8 de Março de 2012 sofri um acidente de motociclo onde parti uma série de ossos, e passei uma semana no hospital. Estive quase a não conhecer a minha filha. Felizmente, passado um mês já andava pelo meu próprio pé e não tardou estava eu a conduzir novamente uma mota.


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.